O Rio Marié é o primeiro rio da Bacia Amazônica, em que o governo Brasileiro colaborou com um grupo comunidades locais indígenas para desenvolver um inovador projeto de pesca esportiva de base comunitária.

Através da cooperação entre a Associação das comunidades indígenas do Marié, o Governo brasileiro através do IBAMA e FUNAI, e Untamed Angling, o Rio Marié é agora o primeira reserva de pesca esportiva legalmente exclusiva de toda Amazônia Brasileira. Esta área protegida abrange mais de 800 quilômetros de águas virgens, ostentando uma incrível população de tucunarés gigantes. 

As águas do Rio Marié e seus afluentes, são cientificamente comprovadas - depois de vários estudos biológicos exploratórios realizados pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis ​​(IBAMA) – como o lar dos maiores tucunaré em toda a bacia amazônica. O rio Marié detém pelo menos duas vezes a quantidade tucunarés de grandes tamanhos (acima de 5 quilos) em comparação com qualquer outro destino pesca esportiva na bacia do Rio Negro antes estudado. Para os pescadores, isso se traduz em oportunidades reais para pescar de forma consistente tucunarés maiores do que a média.

LOCALIZAÇÃO, ÁGUAS E VIDA SELVAGEM

O Rio Marié inicia sua jornada rumo ao Atlântico Sul, no lado noroeste da Amazônia brasileira, próximo à fronteira com a Colômbia. É um afluente do alto rio Negro. A Bacia do Rio Negro é a maior bacia de água “negra” do mundo, com aproximadamente 710.000 km2, uma das regiões mais intocadas da Amazônia, com menos de 0,5% do desmatamento. O Rio Negro é o segundo maior afluente do rio Amazonas, cujas cabeceiras se originam na Serra do Junai, na Colômbia, e flui aproximadamente 1.700 quilômetros até sua confluência com o rio Solimões, perto de Manaus.

As águas do Rio Marié e seus afluentes são cientificamente comprovadas - após vários estudos biológicos do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis ​​(Ibama) e da Pesca Indomável - como o maior tucunaré de toda a bacia amazônica. Esta é uma pescaria onde os pescadores com mosca realmente podem perseguir e conquistar o sonho de alcançar um recorde mundial rapidamente.
Os resultados desses estudos e nossa experiência nas duas primeiras temporadas foram notáveis: o tamanho médio do tucunaré salpicado aqui é de mais de 5 quilos e a quantidade de peixes registrada em mais de 7 quilos é chocante. Se isso não for bom o suficiente, existem mais peixes medindo mais de 20 libras do que em qualquer outro lugar na Bacia Amazônica inteira, ou no mundo. Estudos têm mostrado que o Rio Marié literalmente tem o dobro da população de peixes grandesquando comparado a outros rios previamente estudados como Itapara, Água Boa, Marmelos, entre outros.

Lembre-se de que mirar nesse verdadeiro tucunaré-troféu não é um jogo de números, e nem todo mundo vai pegar o peixe da sua vida. Dito isso, em nossa temporada de 2015, em média mais da metade dos pescadores da Marié conseguiram desembarcar peixes com mais de 20 libras, e mais peixes de 20 libras ou mais foram desembarcados naquele rio em uma semana média do que a maioria dos outros destinos na Amazônia. toda a temporada.

Os peixes estão lá, e cada gesso feito neste rio traz o potencial para um peixe recorde mundial.
Além do tucunaré salpicado gigante, o rio também tem populações saudáveis ​​de pavões-borboleta menores, que têm uma média de 2-6 libras. Esta bela e agressiva variedade de tucunaré acertou em cheio e muitas vezes voa quando é fisgada, e ajudamantenha os pescadores encantados e engajados enquanto procuram seus primos ainda maiores. Os pássaros e a vida selvagem podem ser espetaculares no ambiente da selva profunda. Tanto de suas acomodações quanto de seu barco de pesca, especialmente de manhã e à noite, você pode ver papagaios, araras, periquitos, tucanos, cotingas, cintilantes, manakins, pica-paus ebeija-flores, bem como lindas borboletas. Anta, noz-moscada, caititu e até mesmo macacos-esquilos e bugios podem ser vistos às vezes na beira da água. Fique de olho nos golfinhos e ariranhas que nadam e caçam nas águas do Rio Marié. A selva aqui é incrivelmente densa e a vida selvagem ainda é muito cuidadosa com os humanos, pois eles têm pouca ou nenhuma interação com a humanidade, então você pode esperar ouvir mais vida selvagem do que verá; mas está lá e sempre observando.


PROGRAMA DE PESQUISA PEACOCK BASS
A pesca selvagem em colaboração com o departamento de pesquisa de peixes do IBAMA (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente) desenvolveu um extenso programa de pesquisa de tucunarés. O principal objetivo desta pesquisa é compreender melhor essas pescarias selvagens e remotas, seus estoques de peixes, e fornecer as informações necessárias para gerenciar um rio tão extenso. Marié é o primeiro destino de tucunarés onde todas as espécies pontilhadas (Cicla Temensis) serão monitoradas permanentemente. O primeiro passo é registrar todos os tucunarés-do-pavão capturados durante a temporada de pesca. Então, a próxima etapa será um programa de marcação.Tanto os Guias Indígenas quanto nossos Pró-Guias foram treinados pelo IBAMA para registrar o comprimento total dos peixes e também o peso dos peixes em um procedimento certificado. Contamos com escalas e regras certificadas pelo IGFA para registrar todos os dados e para os afortunados pescadores poderem registrar também um recorde mundial. O procedimento de pesagem e medição leva alguns segundos; Agradecemos sua paciência e colaboração em um programa de pesquisa tão importante.